2015-07-13

BINGO: ver o ciclo da água através do clima

Marisa Vitorino Figueiredo

Tem nome de jogo, mas o tema de estudo não poderia ser mais crucial para o ambiente. BINGO, sigla para Bringing INnovation to onGOing water management, é um novo projecto europeu liderado por uma entidade portuguesa e que visa avaliar os impactos das alterações climáticas no ciclo da água. A apresentação da iniciativa foi feita em Lisboa, na passada sexta-feira.

Das águas superficiais às balneares, passando pelos recursos subterrâneos; e para todos os usos, desde o urbano (distribuição de água nas torneiras de nossas casas) a industrial e agrícola. Todas as vertentes deste recurso fundamental à vida na Terra serão analisados, ao pormenor, pela equipa do projecto. Além de avaliar os impactos das alterações climáticas no ciclo integrado da água, o projecto quer ainda promover estratégias e orientações de gestão do risco.

Integrando seis países em consórcio, o projecto BINGO é liderado pelo português LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Além disso, o leque de parceiros nacionais compõem-se da EPAL, entidade que gere a distribuição de água em Lisboa, da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, da Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural e da Sociedade Portuguesa de Inovação. No total, são 20 parceiros europeus, oriundos também da Alemanha, Chipre, Espanha, Holanda e Noruega.

Para melhorar a capacidade de análise, foram escolhidas seis áreas específicas de observação na Europa (três no Norte e outras três no Sul), que permitem cobrir diferentes condições climáticas, combinações de uso da água e tipologias de pressão. Em Portugal, o cenário de demonstração será a bacia do Tejo. Do financiamento total de oito milhões de euros, canalizados pelo Horizonte 2020 – programa de apoio à investigação e desenvolvimento tecnológico da União Europeia –, Portugal irá aplicar uma verba de dois milhões.

Além das projecções inovadoras de variáveis climáticas, análise de impactos das alterações climáticas e desenvolvimento de estratégias para gestão do risco, o BINGO reserva também atenções à forma como os diferentes intervenientes do sector interagem e abordam este tema. Daí que um dos resultados esperados seja a melhoria do diálogo entre todas as partes relevantes, assim como um aumento da sensibilização pública e reconhecimento dos impactos das alterações climáticas.

Apresentado na manhã de sexta-feira, dia 10 de Julho, no Centro de Congressos do LNEC, em Lisboa, a cerimónia reuniu mais de 200 pessoas. 

VOLTAR

NOTÍCIAS RELACIONADAS

2017-11-16
Agências de Energia e Ambiente e a cooperação territorial em discussão
No próximo dia 6 de Dezembro, o Cineteatro Municipal João Mota, em Sesimbra, recebe o Encontro Nacional das Agências...
2017-10-04
Alfa-AMA: Combater as alterações climáticas num bairro esmagado pelo turismo
No bairro de Alfama, é hoje difícil escapar à febre do turismo, mas duas investigadoras portuguesas estão...
2017-09-27
Água: urgência adiada
Ofuscada pelo “imperativo” da energia, a água tem sido, muitas vezes, deixada para segundo plano. Mas a gestão...
2017-09-22
De 24 a 30 de Setembro o Porto é a capital mundial da água
Serão mais de 900 participantes de 60 países, aproximadamente 100 empresas e dezenas de oradores. O Porto Water...
VER TODAS