2017-05-31

Vítor Pereira

Love the future

Uma plataforma de conhecimento e partilha, que privilegia a qualidade dos conteúdos, capaz de servir de inspiração para preparar e construir a verdadeira cidade inteligente. É, basicamente, desta forma que o Zoom Smart Cities se afirma no contexto global.

 

Está a chegar o grande momento. Nos dias 7 e 8 de junho, a Universidade Nova de Lisboa recebe a segunda edição desta conferência internacional, um evento que se atreve a fazer diferente, que selecciona criteriosamente os seus oradores, as cidades e os territórios líderes nacionais e mundiais pelo trabalho implementado, pelos resultados alcançados, os criativos, os investigadores, os empresários, os juristas e até os observadores.

 

Uma conferência que olha para a “cidade” na sua transversalidade, que sublinha o bom mas que não nega o mau, que olha para a “cidade” com todos os sentimentos e todos os movimentos que a compõem.


Na mesa dedicada às cidades participam Amesterdão, Dublin, Lisboa, Santander e o Vale do Tua (que integra cinco municípios de um dos territórios mais despovoados de Portugal). Cada caso é único e as soluções adoptadas em cada uma das grandes metrópoles são diferentes. Mas o Vale do Tua pode trazer uma nova reflexão que, aliás, é urgente. Todos os estudos apontam para a crescente concentração da população nas grandes cidades. Como resolver o problema de despovoamento dos territórios ditos rurais e, quiçá mais grave, como gerir a excessiva concentração da população nas grandes cidades? O Vale do Tua vem apresentar o seu projeto que dá resposta a esta questão. Um projeto que tem na inteligência o principal ingrediente e que pode servir de inspiração para tantos outros territórios no planeta que sofrem dos mesmos problemas de base: fuga da população, falta de investimento, falta de emprego e oportunidades, abandono.


O Vale do Tua tem no Turismo o seu principal elemento de desenvolvimento e progresso e o Turismo é outro dos temas quentes da atualidade.


Como estão as cidades a lidar com este setor? Como responder a problemas de perda de identidade e autenticidade, ao turismo massivo e à gentrificação? Um dos oradores do ZOOM Smart Cities é um prestigiado escritor de viagens, Doug Lansky, que já visitou mais de 120 países. A experiência deste observador atento vai trazer o conhecimento e a percepção de um setor que precisa de ser repensado e reprogramado.


A participação cidadã e o place making são outros temas que se impõem nas smart cities. E quem melhor do que Jason Roberts, um pensador livre, um visionário, que tem por princípio “fazer acontecer”? Internacionalmente reconhecido, Jason Roberts partilha o seu trabalho sem filtros, lança ideias e desafios que fomentam o espírito crítico, mas também criativo dos cidadãos e das cidades.


Jason é o principal impulsionador de um novo movimento global, um movimento composto de “novos urbanistas”, gente que sente as comunidades, que tem empatia com as necessidades mais prementes e consegue traduzir linguagens e especificidades técnicas e torná-las acessíveis e compreensíveis, mas sobretudo inclusivas e que correspondem aos reais anseios das pessoas.


E nada progride nas cidades e nos territórios se não existir florescimento económico. A Economia Circular está na ordem do dia, um tema que em Portugal ainda está numa fase inicial mas que começa a dar sinais de mudança em alguns pequenos negócios. O ZOOM Smart Cities não fica indiferente a este movimento, quer dar-lhe voz, e convidou como oradora Lindsey Wuisan, que veio directamente da Holanda para fundar a Circular Economy Portugal, com o propósito único de alavancar esta mudança de paradigma.


O evento das Cidades Inteligentes em Portugal vai ainda contar com uma série de especialistas em diversas áreas relacionadas com a atração de investimento e talento. Uma das novas realidades globais prende-se com a transformação das cidades em hubs de negócios e empreendimentos. Contudo, aspetos legais e de regulação constituem muitas vezes obstáculos que podem comprometer o desenvolvimento económico e colocar as cidades em desvantagem competitiva com outras, onde os processos burocráticos e legais são mais ágeis e flexíveis. A presença no ZOOM Smart Cities 2017 de reconhecidos especialistas nas áreas legais, como são os casos dos sdvogados João Caiado Guerreiro e Pablo Chillón, torna o evento ainda mais heterogéneo, não se fechando sobre a tecnologia, mas antes abrindo horizontes de debate para as questões que são efetivamente urgentes e complementares numa smart city.


Esta conferência recebe também o contributo de diferentes decisores públicos e a imprescindível prestação do setor empresarial. Muitas soluções ligadas às comunicações, à tecnologia e à inovação vão ser apresentadas no ZOOMSC17. Soluções pensadas para criar conforto ao cidadão, pensadas para melhorar a mobilidade, a eficiência energética, a segurança, a gestão de recursos, a conetividade dos cidadãos com o mundo, das cidades com os cidadãos, de todos com todos.


É assim esta grande conferência internacional, composta por conceituados oradores, influentes, que, de forma transparente e sem reservas, vão partilhar as suas experiências, os seus conhecimentos, o seu sentir com todos os que quiserem juntar-se ao ZOOMSC17. 

VOLTAR

NOTÍCIAS RELACIONADAS

2017-05-30
Contagem decrescente para ZOOM Smart Cities 2017
O ZOOM Smart Cities está de volta! O evento das smart cities volta a reunir, em Lisboa, nos dias 7 e 8 de Junho,...
2017-05-31
Smartathon: A resposta aos desafios urbanos está na co-criação
O desafio está lançado e vai reunir estudantes de universidades e instituições de ensino superior na procura de...
2017-04-05
“Investir na economia circular pode gerar receitas extra”
A circularidade está na ordem do dia, mas Portugal ainda está numa fase inicial e os primeiros sinais de mudança só...
2016-05-24
“A EMEL tem a mobilidade na cidade como missão”
Enquanto parceira do consórcio para o projecto Sharing Cities de Lisboa, a EMEL - Empresa Municipal de Mobilidade e...
VER TODAS